Ucrânia declara estado de emergência e pede para cidadãos deixarem a Rússia

A Assembleia Geral da ONU nesta quarta-feira, em Nova York (Foto: Manuel Elias/UN Photo)

O parlamento da Ucrânia decretou estado de emergência de 30 dias e recomendou que seus cidadãos deixem a Rússia, informam as agências internacionais nesta quarta-feira (23). O pedido foi feito pelo presidente Volodymyr Zelensky. Na terça, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, não descartou a invasão do território ucraniano, depois de reconhecer duas regiões separatistas no país, Donetsk e Luhansk, como estados independentes.

A crise dominou o debates na Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) nesta quarta-feira em Nova York. O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, pediu às Nações Unidas ações concretas para acabar com a ameaça que segundo ele não é somente contra a Ucrânia, mas contra toda a comunidade internacional, informa o site da ONU Brasil. Ele disse que Vladimir Putin não vai parar por si só.

O embaixador da Rússia, Vassily Nebenzia, informa a ONU Brasil, afirmou que não se trata de “territórios temporariamente ocupados” mas sim territórios perdidos por causa do que ele chamou de políticas de ódio e do golpe ocorrido em 2014. O embaixador russo disse que a Ucrânia realizou várias agressões e sofreu o resultado de seus vários anos de sabotagem e desrespeito por acordos, com os quais a Rússia estaria “consistentemente comprometida”.

  • Com informações das agências internacionais e da ONU Brasil